quarta-feira, 22 de setembro de 2010

A volta por cima da Electronic Arts



O ano de 2011 ainda não começou porém a Electronic Arts já tratou de lançar seu novo game da sua principal franquia de futebol, o FIFA 11. Com gráficos incríveis graças ao motor remodelado e inteligência artificial de última geração que tenta simular o raciocínio dos atletas, o FIFA 11 teta recuperar seus fãs perdidos nas últimas gerações do game.

Para esta nova temporada a empresa criou o chamado passe profissional. uma resposta aos fãs que apelidaram o FIFA 10 como passe de pinball. Este novo recurso permite levar em consideração a especialidade, talento e forma física de cada atleta que estiver com a bola, zagueiros por exemplo, estão menos aptos a acertarem lançamentos longos.

Quanto à inteligência artificial dos jogadores, à empresa promete mudanças consideráveis. Entre elas está a "personalidade" do atleta na tecnologia batizada de Personality+, o que significa que o comportamento dos maiores craques reais é melhor refletido nos campos virtuais. Um time internacional de jornalistas, olheiros e especialistas em futebol foi escalado para dar 36 atributos e 57 características a cada astro do game e manter tudo atualizado atraves de updates posteriores.

Cada jogador agora possui uma configuração pré-definida de ataque e defesa, o que sugere que jogadores como o lateral direito Daniel Alves corram a toda para o ataque e voltem mais lentamente para a defesa, enquanto atacantes como Luis Fabiano raramento se envolvam na marcação. Ainda de acordo com as personalidades de suas contrapartes reais, é possível notar que os argentinos Tevez e Messi tentam dribles curtos para vencer os zagueiros, enquanto Drogba e Adriano se valem mais de sua força física.

Por fim, uma novidade muito interessante: agora é possível gravar gritos de torcida e disponibilizá-las online para serem usados durante as partidas. É possível também selecionar músicas específicas ou trechos customizados para tocarem nos menus, ou quando determinadas equipes entram em campo ou marcam um gol. Também foi incluída a possibilidade de salvar replays no disco rígido do computador ou consoles.
Com todas essas novidades a companhia tenta este ano bater record de vendas em todo o mundo, o lançamento oficial será no dia 28 de Setembro, aguardem e aproveitem o novo game FIFA 11.

terça-feira, 10 de agosto de 2010

Eleições sem humor


Uma lei que entrou em vigor recentemente proíbe que programas humoristicos como o " Panico na Tv", Casseta e Planeta" e "CQC" façam sátiras com personagens políticos envolvidos nas eleições de 2010.

De acordo com a Lei nº 9.504/97, política é coisa séria e por esse motivo não pode ser alvo de piadas de tais programas.

A desculpa para proíbir o humor em meio ás eleições seria a afirmação de que os políticos estariam sendo ridicularizados por esses programas. Mas o que eles fazem para serem dignos de elogios ao invés de motivos de piadas ?

De que adianta essa censura ? E a democracia, aonde fica nesse momento ?

Será que o povo é tão ignorante a ponto de poder ser influenciado por uma simples piada sobre um determinado candidato ?

Programas humoristicos que abordam o tema da política também são um meio de divulgação para um canditato e servem para deixar a população atenta para as eleições que estão por vir. Por que ter medo de uma simples pergunta ou sátira se o canditato em questão não tiver nada de conturbado em sua carreira política ?

Sátira sobre a candidata á presidência Dilma Rousseff, feita pelo programa "Panico Na Tv" e interpretado pelo humorista " Carioca".

Entendi, a questão é essa ! O problema é que talvez eles tenham não é mesmo ? Por isso essa lei e o medo de serem motivo de risos de toda uma nação!
Deveriamos rir disso tudo ou temos que sentir vergonha dos comandantes do nosso país ?

Aonde chegaremos com censura, falcatrua e com candidatos em que não confiamos de maneira alguma ?


Logo abaixo, o vídeo da reportagem do programa "CQC" sobre esse assunto exibido na noite da ultima Segunda-Feira (09) e que retrata a opnião dos próprios politicos e de alguns humoristas, incluindo o apresentador Emílio Surita, do " Panico na Tv".




Palavras do integrante do "CQC", Marco Luque :

- Se os políticos não querem ser alvo de piadas, está na hora de pararem de nos tratar como palhaços !

segunda-feira, 26 de julho de 2010

Pesquisa diz: 72,4 dos leitores indicariam a Gazeta de Limeira

Mário Roberto três décadas a frente das fotografias

O Jornal Gazeta de Limeira completou 79 anos de existência no mês de maio e recebeu uma grande notícia. 72,5 % dos entrevistados indicariam o jornal a um amigo ou parente para saber sobre acontecimentos de Limeira e Região.
A Gazeta foi fundada em 17 de maio de 1931, ou seja, antes da revolução de 1932, portanto são quase 80 anos de história. Possuem filiais em Iracemápolis e Cordeirópolis, é o único jornal local a circular todos os dias da semana.
Conta com aproximadamente 160 funcionários entre os departamentos de Jornalismo, Publicidade, Gráfica, Administração entre outros. É comandado pela família Lucato sendo seu Editor Chefe Roberto Lucato. As parcerias com outros meios de comunicação como Rádio Educadora AM aonde são feitos os programas à Hora da Notícia (segunda a sexta das 17: 00 às 18h) e o Painel Esportivo também de (segunda a sexta das 18h às 19h), e na TV Jornal pelo Segunda Esportiva, das 20:30 às 22h), beneficia de alguma forma seus leitores.
O Prêmio Gazeta de Literatura e a Copa Gazeta dois eventos realizados pelo Jornal anualmente tem ampla participação da população, por isso quando questionados se a Gazeta está próximo da comunidade a resposta única e espontânea foi de 87,4 percentuais. Outra notícia aos seus leitores é que tão logo seu novo prédio estará pronto, aonde todos seus departamentos atuaram juntos, trazendo mais qualidade e benefícios à população. Gazeta de Limeira um jornal tradicional e de muita credibilidade.
Contatos: Rua: Senador Vergueiro, 319 Centro Limeira-SP Fone: (19) 3404-3700.
Site: gazetadelimeira.com.br / E-mail: gazeta@gazetadelimeira.com.br

domingo, 18 de julho de 2010

Carreira: A importância do estágio



O estágio é um processo de aprendizagem indispensável a um profissional que deseja estar preparado para enfrentar os desafios de uma carreira.

Está no estágio a oportunidade de assimilar a teoria e a prática, aprender as peculiaridades e “macetes” da profissão, conhecer a realidade do dia-a-dia, daquilo que o acadêmico escolheu para exercer.

A medida que o acadêmico tem contato com as tarefas que o estágio proporciona, começa a assimilar tudo aquilo que tem aprendido e até mesmo aquilo que ainda vai aprender. Sabemos que pedagogicamente o aprendizado é muito mais eficaz quando é adquirido com a experiência. Temos muito mais retenção ao que do que ao que lemos. E o que fazemos diariamente ou repetidamente é absorvido com muito mais eficiência.
É comum o estagiário lembrar-se do que realizou durante o estágio enquanto assiste às aulas e do que aprendeu em sala enquanto está exercendo atividades no estágio.
Aos que já estagiaram são indiscutíveis os benefícios e vantagens desta experiência. As aulas em sala de aula ensinam conceitos e teorias que são necessárias aos futuros profissionais e a vivência do trabalho permite assimilar esses conceitos e teorias. É possível distinguir aquilo que precisamos aprender e aquilo que realmente não aprendemos. Será possível aferir a qualidade do ensino que temos conforme as dificuldades que enfrentamos.

Algumas precauções são necessárias ao estudante que procura estágio.

Em virtude da ânsia de muitos acadêmicos que já entenderam a necessidade do estágio, da obrigatoriedade de determinadas horas de estágio de alguns cursos, bem como da isenção de impostos do regime da CLT (Consolidação das Leis do Trabalho), algumas empresas oferecem vagas intituladas de estágio, mas na verdade não o são. Há na verdade, interesse em contratar mão-de-obra barata, sem vínculo empregatício e garantir menor custo.

Algumas empresas chegam a contratar estudantes como estagiários e colocá-los a exercerem função de telemarketing, vendendo produtos ou serviços. Em simples análise é possível identificar que esta prática nada tem a ver com a proposta do estágio que é proporcionar ensino e capacitação profissional direcionada.

Uma prática que aparentemente não é prejudicial, mas que desvia o propósito contratual entre acadêmico e empresa são a de profissionais que compõem o quadro da empresa e não tem consciência, ou não querem ter sobre a importância deste momento para o estudante e confundem o estudante como “quebra galho” e agente de favores pessoais, ou seja, transformam o estudante em office-boy de luxo e chegam a pedir para que o estagiário compre lanches ou pague contas pessoais em banco.

Outra dificuldade que o estagiário enfrenta é o valor da bolsa auxílio comparado ao valor da mensalidade do curso.

Quando o estudante decide procurar um estágio tem que ter em mente que não deve procurar um salário, pois este não é o objetivo principal. Em contrapartida terá mais facilidade em pagar as altas mensalidades e ainda ter algumas comodidades financeiras quanto maior for à bolsa-auxílio. A realidade não é igual a todos, pois variam as condições econômicas e familiares de cada caso, ou até mesmo se o estudante possui bolsa na faculdade o isentado de custas. Uma vez conseguido um estágio, vencidas as dificuldades e tendo-se condições de estagiar, deve-se abraçar a oportunidade, como oportunidade única, pois não faria sentido freqüentar um estágio se não houvesse compromisso com as atividades.

Também seria desperdício de tempo e energia sofrer o desgaste do estágio somado ao desgaste do curso se não houvesse interesse firme em aprender e preparar-se para a profissão.
Enfim, um bom estagiário deve ter um bom estágio e ambos dever ser produtivos e

capazes de formar um profissional pronto a enfrentar os desafios da profissão e gerar boas expectativas de sucesso.


Fonte: FE - Vestibular1.com.br - 20/11/2007


O Portal G3 conversou com estudantes que atuam na área como estagiários ou profissionais.


Dora Allice Vitti,Comunicação Social (Jornalismo), 2° semestre.


Dora Vitti atua como Assessora de Imprensa desde Junho deste ano no NUPEA (Núcleo de Pesquisa em Ambiência - ESALQ/USP).

Ela opina sobre a importância do estágio conciliado aos estudos. “Ainda estou no começo do estágio e já pude perceber os benefícios da experiência.

O estágio conciliado à faculdade parece ser um pouco desgastante, mas acontece exatamente o contrário: os desafios do trabalho fazem com que o estagiário cresça, pois tem de procurar se especializar naquilo que está fazendo, além de se deparar com desafios que fazem o nosso lado profissional evoluir.

Acredito que estagiar, é uma etapa importante na vida profissional, porque a pessoa entra em contato com algo que antes não conhecia e adquire muito conhecimento.

É através desse período, que o estagiário pode decidir em que área vai atuar futuramente, por exemplo: um estudante que entra na faculdade objetivando certa área, pode mudar sua opinião se estagiar em outra área e se identificar com ela.

Estar em constante contato durante a vida universitária com a prática profissional é em minha opinião essencial para que o indivíduo tenha a certeza que está fazendo a escolha certa."



Camila Piacentini, Comunicação Social (Jornalismo), 2° semestre.


Camila Piacentini iniciou como aprendiz no Jornal de Piracicaba há dois meses ainda no primeiro semestre da faculdade.

No início ficou responsável pelo site do jornal, mas agora já está na redação fazendo matérias para o jornal impresso, mesmo sendo aprendiz.

O Portal G3 pergunta sobre suas perspectivas futuras devido ao fato de pós-formado já possuir experiência. "Minhas perspectivas são as melhores, acredito que ao terminar a faculdade estarei muito bem preparada. Pretendo seguir na área esportiva e acredito ter muito potencial para isso.

Ao terminar a faculdade estarei com uma ótima bagagem de experiência. Isso conta muito no disputado mercado de trabalho hoje. É essencial, mas nada impede que alguém que nunca tenha trabalhado na área seja mais eficiente após terminar a faculdade do que aquele que trabalhou na área durante os estudos."



Denis Fernando dos Santos, Comunicação Social (Jornalismo), 2° semestre.

Denis Fernando fez o caminho inverso iniciou sua carreira em 2007. Antes de cursar a faculdade atuou em uma agência de publicidade e posteriormente como assessor de imprensa da winner Limeira Basquete, onde trabalha atualmente.

Ele fala ao Portal G3 sobre a importância em atuar na área em que estuda. "Acho muito importante porque o aluno confronta o que aprende na faculdade com o que o mercado realmente exige. O estágio conciliado a faculdade traz um choque de realidade ao aluno resultando em experiência, profissionalismo e crescimento pessoal. Acho que se todos os alunos conseguissem iniciar um estágio desde o primeiro ano de faculdade, seria muito produtivo para toda a classe, porque a necessidade de aprendizado imediato traria mais responsabilidade a todos, consequentemente as aulas fluiriam e todos aprenderiam muito mais."

Quando perguntado se considera ter vantagem em relação aos estudantes que não atuam na área no período universitário, acrescenta: “Prefiro usar o termo privilégio. Tenho o privilégio por já atuar na área, assim posso colocar em prática tudo o que tenho aprendido na faculdade. Há também o fácil entendimento de alguns ensinamentos dados em classe, porque em alguns casos já os utilizo em minha profissão."




Fernando Aparecido de Carvalho, Comunicação Social (Jornalismo), 2° semestre.

Fernando Carvalho atua na área aproximadamente 11 anos, na Gazeta de Limeira e também no Programa Segunda Esportiva transmitido pela TV Jornal como iluminador, repórter cinematográfico, fotógrafo e até mesmo repórter. Fernando é um profissional de renome na região e atualmente concilia sua profissão com os estudos. " O Estágio é fundamental e importantíssimo, pois o estagiário usa na prática o que está estudando.

Quanto mais cedo seu início melhor. O quanto antes o estudante buscar algo a mais, ele sairá na frente dos demais. Nunca deixe para correr atrás no último ano, pode ser tarde demais, busque no máximo entre o terceiro e quarto semestres para chegar já empregado assim que se formar."


Teles Cristiano, Portal G3.